Musicoterapia na Terceira Idade

A música mobiliza todos os sentidos do ser humano, estimula o físico, o emocional, mas também a vida social.

Sendo a musicoterapia, uma terapia expressiva, ela contribui fortemente para a promoção de uma vida mais saudável, produtiva e um bem-estar geral, ou ainda, para o “envelhecimento activo”.

O conceito “envelhecimento activo, é uma das metas da Organização Mundial da Saúde (OMS), que tem como objectivo, proporcionar um envelhecimento mais digno, com oportunidades, assistência a saúde e segurança, tornando essa etapa da vida uma experiência com mais realização e bem-estar.

A musicoterapia pode assim proporcionar uma abertura dos canais de comunicação, onde são valorizadas as experiências e produções musicais do idoso, podendo ser reforçada sua a auto-estima, fortalecer a sua identidade própria/ grupal e assim serem estimuladas instâncias psíquicas, onde muitas vezes a palavra não consegue alcançar.

        “Através de canções de uma vida inteira, é possível relembrar momentos que apesar de individuais,
        não deixam de ser colectivos, que marcaram uma determinada fase da vida, uma geração, uma época.”
                               (Souza, 2002, in Musicoterapia e a clínica do envelhecimento).

No processo musico terapêutico, é essencial que o musicoterapeuta tenha um conhecimento aprofundado das músicas que fizeram e fazem parte do universo musical do paciente, de forma a chegar mais directamente ao eu do idoso, criando um ambiente de fluidez musical.

Objectivos gerais da musicoterapia na Terceira Idade:

  • Estimular a área cognitiva
  • Estimular a fala e percepção auditiva
  • Reforçar ou restabelecer a força muscular/ motricidade/ marcha
  • Potenciar a integração grupal.
Porquê nós?
Porquê a CuidaCarinhos?